Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Web Analytics – Parte 2 – Qual é o melhor contador de visitas para meu site?

Arquivos: ,

Autor: Alex Oliveira | Data: 24/07/2009 |


Com tantas opções de softwares para web analytics, alguns deles verdadeiros pacotes de análise estatística avançada dos acessos a seu site, a primeira pergunta que precisamos responder é “qual deles devo usar”? Não se trata, aqui, de saber qual é “o melhor”, mas qual deles é o mais adequado para seus objetivos.

Até mesmo os planos mais básicos de hospedagem de sites oferecem algum tipo de relatório de visitas a quem contrata seus serviços. Logo após o contato inicial com um desses programas, você ouve falar em diversos outros sistemas de análise de audiência de sites e se sente perdido, sem saber se está sendo ou não bem informado pelo sistema que usa atualmente.

Gráfico gerado pelo software analisador de logs AWStats

Gráfico gerado pelo software analisador de logs AWStats

Para começar, precisamos estabelecer que, sejam simples ou complexos, caros, baratos ou gratuitos, todos esses programas se propõem, basicamente, a fazer rigorosamente a mesma coisa: medir o tráfego de entrada e saída de dados do seu servidor. O problema começa no método que esses programas usam para medir esse tráfego, o que já permite dividir os softwares de web analytics em duas grandes categorias: os analisadores de logs do servidor e os contadores remotos.

Praticamente todo servidor web faz um registro em um arquivo de texto (log) de todas as solicitações que recebe. Esses registros são automáticos e efetuados em um formato “bruto” (raw) que tem pouca utilidade para o usuário humano. Os softwares analisadores de logs procedem a uma análise, interpretação e organização dos dados desses arquivos em uma apresentação visual que se pretende que seja útil e prática para o ser humano. Dois bons exemplos são os softwares Webalizer e AWStats, ambos gratuitos.

Gráfico gerado pelo software analisador de logs WebAlizer

Gráfico gerado pelo software analisador de logs WebAlizer

Agora vejamos os contadores remotos. Enquanto os analisadores de logs funcionam diretamente no servidor e, desta forma, registram toda e qualquer atividade no site, os contadores remotos precisam ser instalados em todas as páginas do site que você deseja monitorar. Esqueça de instalar o código em uma página e ela será excluída das estatísticas. Após instalado o código, assim que um usuário acessar uma página de seu site, o código coletará dados sobre o computador do visitante e os enviará para processamento em um computador remoto, que fará a interpretação e organização dos dados enviados. Quando você quiser visualizar as estatísticas de seu site, precisará fazer login no site da empresa que mantém o contador. Dois bons exemplos desse tipo de contador são os serviços Statcounter e Google Analytics.

Gráfico comparativo de visitas em diferentes períodos gerado pelo Google Analytics

Gráfico comparativo de visitas em diferentes períodos gerado pelo Google Analytics

Mas sequer podemos dizer que a principal diferença entre os contadores está no método de coleta de dados, pois a interpretação desses dados varia enormemente. De fato, dos quatro contadores mencionados anteriormente, somente o StatCounter e o Google Analytics permitem que eu veja o número de “visitas” a uma determinada página deste site no mês de junho de 2009:

Google Analytics: 11.159
StatCounter: 14.395

Os dois analisadores de logs disponíveis em meu servidor – AWStats e Webalizer – sequer me permitem ter acesso a esse dado. O AWStats não retorna um número de “visitas” por página, mas o número de “page views”. Já o Webalizer, da forma como está configurado em meu servidor, retorna os dados apenas das 10 páginas mais visitadas e a página em questão não aparece nesse ranking. Mesmo quando os resultados são comparáveis, o AWStats e o Webalizer retornam resultados discordantes. Veja o que eles dizem sobre o número de visitas a uma outra página deste site em determinado dia deste ano:

AWStats: 1977 visitas
Webalizer: 2494 visitas

A questão que agora salta aos olhos é: por que há tanta variação?

Uma parte do motivo é o método de coleta de dados. No caso dos contadores remotos, há uma variedade de situações em que podem ocorrer perda de dados entre o computador do usuário de seu site e o computador da empresa que gera os relatórios. Assim, parte da diferença entre o StatCounter e o Google Analytics pode ser explicada pela maior taxa de perda na transferência de dados para servidor do Google Analytics.

Gráfico de duração de visitas gerado pelo StatCounter

Gráfico de duração de visitas gerado pelo StatCounter

Entretanto, para os analisadores de logs não há (ou, pelo menos, não deveria haver) “perda” de dados, já que os logs registram toda e qualquer atividade dentro do seu site. O motivo da diferença, deste modo, só pode estar no critério de interpretação dos dados, na “régua” empregada para medir os dados. Você pode entender melhor esse problema se pensar que alguém pode dizer que sua mesa de trabalho tem 1,50 metro de comprimento, enquanto outra pessoa dirá que ela tem 59 polegadas… Sendo que ambas estarão certas!

No caso dos softwares de web analytics, a questão é muito mais complicada que isso, já que todos dizem estar medindo as mesmas coisas (visitas, page-views, etc), mas apresentam resultados muito diferentes, às vezes com discrepâncias que beiram o grotesco.

Considerando que cada fabricante defenderá com unhas e dentes seus métodos e critérios, infelizmente não podemos contar com uma resposta objetiva à questão de qual contador efetua a medida mais precisa.

Não pretendo abordar nesta série de artigos os detalhes do funcionamento de servidores e das configurações e critérios dos diversos softwares de web analytics, pois é assunto complexo e controverso. Para uma introdução bastante simplificada ao tema, sugiro uma visita ao documento Simpletons Guide to Web Server Analysis, sempre lembrando que as opiniões ali expressas representam um entre vários pontos de vista possíveis sobre o tema.

Por isso mesmo, sugiro que você escolha o seu software de web analytics, seja ele pago ou gratuito, usando como critério a forma de apresentação dos dados. Se o software escolhido apresenta os dados em uma forma que você pode usar para fundamentar seu processo de tomada de decisões, fique com ele; caso contrário, teste outro. De uma maneira geral, evite basear suas decisões apenas nos números brutos dos seus relatório de web analytics, mas em unidades de medida definidas especificamente para seus objetivos. Como estabelecer essas unidades de medida (“métricas”) é assunto para os próximos artigos.

Precisa de ajuda? Entre em contato pelo formulário abaixo!







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.