Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Compras online: influências tradicionais e tecnologia

As empresas Baynote e e-tailing realizaram entre os dias 24 de novembro de 5 dezembro de 2012 o estudo “3rd Annual Holiday Online Shopping Survey[1]. A pesquisa envolveu 1.000 compradores online americanos e seu objetivo era desvendar os principais fatores influentes sobre seu comportamento de compra. Veja a seguir os principais resultados.

  • Influências-chaves. Os fatores apontados como os mais influentes nas compras online foram as Avaliações e críticas online (33%), Pesquisa no Google (28%), Promoções por E-mail (25%) e Catálogos Impressos (22%). Foram mencionados por menos de 20% dos respondentes o Facebook (15%), a Publicidade Móbile (10%), o Twitter (10%) e o Pinterest (10%).
  • Smartphones e tablets. Embora a Publicidade Móbile tenha sido mencionada por apenas 10% dos respondentes, o móbile marketing em sentido mais amplo já exerce forte influência sobre as decisões de compras online. Veja mais detalhadamente no gráfico 1 a influência dos smartphones e tablets sobre as decisões de compras online.
Gráfico 1 - Influência dos smartphones e tablets sobre as compras online. Fonte: Baynote/e-taling Gráfico por Géssica Hellmann & Cia

Gráfico 1 – Influência dos smartphones e tablets sobre as compras online. Fonte: Baynote/e-taling Gráfico por Géssica Hellmann & Cia – Clique na imagem para vê-la em tamanho maior (1047×615)

  • Comparação de preços e pesquisa de disponibilidade. A pesquisa checou a adoção de diversos métodos adotados pelos consumidores para comparar preços e verificar a disponibilidade de produtos. Confira no gráfico 2 como a influência dos seis primeiros métodos, considerados “modernos” na pesquisa, convive perfeitamente com os três últimos, considerados “tradicionais”.
Gráfico 2 - Métodos de pesquisa de preços e disponibilidade empregados pelo consumidor. Fonte: Baynote/e-tailing (2013). Gráfico por Géssica Hellmann & CIa. Clique na imagem para vê-la em tamanho maior (1307x782)

Gráfico 2 – Métodos de pesquisa de preços e disponibilidade empregados pelo consumidor. Fonte: Baynote/e-tailing (2013). Gráfico por Géssica Hellmann & CIa. Clique na imagem para vê-la em tamanho maior (1307×782)

  • Fatores determinantes da compra. Também na hora da decisão de compra, os fatores “modernos” coexistem com os fatores tradicionais, como se pode conferir no gráfico 3.
Fatores infliuentes sobre a decisão final de compra. Fonte: Baynote/e-tailing (2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia. Clique na imagem para vê-la em tamanho maior (1154 × 681)

Fatores infliuentes sobre a decisão final de compra. Fonte: Baynote/e-tailing (2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia. Clique na imagem para vê-la em tamanho maior (1154 × 681)

Conclusões e aplicabilidade ao contexto brasileiro

Mais uma vez, temos um “mapa rodoviário” contendo uma compilação das mais importantes variáveis envolvidas no comportamento do consumidor online, cujos dados certamente devem ser verificados no contexto do consumidor brasileiro. O resultado mais importante dessa pesquisa, porém, não está exatamente nos números individuais, mas no conjunto que eles formam.

Em termos simples, percebemos que a internet e a tecnologia móvel enriqueceram mais do que “revolucionaram” o comportamento de compra. O consumidor, hoje, dispõe de maior número de critérios para avaliar fornecedores, produtos, preços e condições de compra do que antes. Porém, apesar de todo o hype, os critérios “tradicionais” continuam válidos e, exatamente por isso, preservam sua relevância sobre a decisão de compra do consumidor.

Em poucas palavras, a tecnologia veio para somar, não para destruir.

Caso você precise de ajuda para guiar sua empresa nos processos de compra do consumidor, entre em contato pelo formulário a seguir.

1 – Tradução: “Terceiro Levantamento Anual de Compras Online no Feriado”.







Artigos relacionados

Accenture confirma ascensão do mobile marketing

Uma pesquisa conduzida pela consultoria Accenture Interactive junto a 2000 consumidores entre 20 e 40 anos no EUA e no Reino Unidos revelou dados que refletem e confirmam diversas outras pesquisas que já publicamos neste blog, inclusive com relação ao comportamento do consumidor brasileiro. Veja a seguir os principais resultados.

Comparação da percepção de preços nas lojas online e nas lojas fíísicas. Fonte: Accenture - Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

Comparação da percepção de preços nas lojas online e nas lojas fíísicas. Fonte: Accenture – Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.
  • 72% dos consumidores entre 20 e 40 anos nos EUA no Reino Unido usam dispositivos móveis quando estão nas lojas físicas para comparar preços e a maioria deixa a loja antes de fazer uma compra.
  • 52% acreditam que os preços cobrados nas lojas físicas são maiores do que os das lojas online.
  • 60% dizem que os preços das lojas online os incentivam a visitar uma loja física para comparar preços e ver a mercadoria de perto, mas 48% voltam para casa para finalizar a compra online e 32% acabam comprando de outro fornecedor.
  • Apenas 20% finalizam a compra quando estão na loja física.

Esta seção da pesquisa da Accenture nos informa que os consumidores estão utilizando um processo de compra cada vez mais complexo, que inclui pesquisa de ofertas no PC, no dispositivo móvel e na própria loja física, sem nenhum compromisso de lealdade com qualquer fornecedor específico. Desta forma, tem importância crucial sobre a taxa de conversão a presença da marca com a máxima visibilidade em múltiplas plataformas.

Como esse comportamento permite ao consumidor otimizar seus gastos com um mínimo de esforço na obtenção de ofertas para comparação, parece-nos justo supor que será cada vez mais adotado por consumidores do mundo inteiro, especialmente no Brasil, que apresenta um crescimento explosivo na adoção de smartphones.

A seção seguinte da pesquisa trata de um outro assunto importantíssimo: a real preocupação do consumidor com a privacidade de seus dados.

  • 86% se dizem preocupados com o rastreamento de seu comportamento de compra por websites.
  • 85% afirmam saber que esse rastreamento acontece, mas têm consciência de que seu objetivo é oferecer ofertas e conteúdo mais estreitamente relacionados a seus interesses.
  • 49% são favoráveis ao uso de seus dados por suas lojas ou marcas favoritas para fornecer informações personalizadas sobre produtos.
  • Quando solicitados a escolher, 64% dizem que é mais importante receber ofertas personalizadas do que ter completa privacidade em sua atividade online.
  • Porém, 88% acreditam que as empresa deveriam dar ao consumidor o controle sobre como suas informações são usadas para personalizar sua experiência de compra.

Esses dados são auto-explicativos: os consumidores estão dispostos a abrir mão de parte de sua privacidade em favor de uma experiência de compra mais personalizada. Porém, desejam maior transparência no processo, de preferência obtendo o controle sobre o modo como seus dados serão sendo usados pelas empresas.

Finalmente, a Accenture investigou o papel do marketing em mídias sociais sobre o comportamento de compra.

  • 92% se dizem mais inclinados a comprar de empresas que façam uso das mídias sociais.
  • O Facebook é a mídia preferida de 67%.
  • 80% afirmam ser mais provável que comprem de uma empresa que use comunicação online
  • 70% se dizem mais inclinados a comprar de empresas que disponibilizam aplicativos móveis.

Em resumo, esta pesquisa corrobora todos os dados de outras pesquisas que já apresentamos nesta publicação mas, desta vez, com o peso da marca Accenture, a maior empresa de consultoria do mundo.

A principal conclusão que podemos extrair desses dados é o de que a tarefa de influenciar o comportamento de compra exige cada vez maior integração entre diferentes mídias. No contexto da explosão no uso de smartphones no Brasil, podemos esperar que cada vez mais consumidores brasileiros adotem comportamento semelhante ao dos ingleses e britânicos, usando seus dispositivos como poderosas ferramentas de pesquisa de ofertas para otimizar os seus gastos com bens de consumo. Cabe às empresas desenvolver uma estratégia para lidar com essa nova realidade, integrando sua presença física com a presença online e desenvolvendo aplicativos que facilitem a experiência de acessar as ofertas da empresa na mídia móvel.

Precisa de ajuda? Entre em contato pelo formulário abaixo!







Artigos relacionados

Smartphones e o Marketing de Conteúdo para Varejo

Smartphones e o Marketing de Conteúdo para Varejo - Imagem por Géssica Hellmann

Smartphones e o Marketing de Conteúdo para Varejo – Imagem por Géssica Hellmann

Enquanto muitas empresas ainda estão pensando se vale a pena criar um site, investir em e-commerce, criar um blog ou um perfil no Facebook, outras estão preocupadas em desbravar as fronteiras, chegando mais cedo aos mercados emergentes antes que a concorrência aumente os custos de entrada e comece a corroer as margens de lucro. Se a sua empresa se enquadra no segundo grupo, não vai se surpreender com os resultados de uma pesquisa realizada pela consultoria Deloitte no Reino Unido.

A pesquisa revela que quase metade dos proprietários de smartphones do Reino Unido usaram o dispositivo para pesquisar informações sobre produtos antes ou durante uma saída para compras. Esse comportamento representa um impacto de 6% sobre as vendas realizadas dentro das lojas, totalizando 15 bilhões de libras esterlinas, equivalente a mais de 24 bilhões de dólares ou quase 50 bilhões de reais.

Isso mesmo. Quase 50 bilhões de reais em vendas nas lojas físicas do Reino Unido são gerados através de smartphones.

Para quem acompanha a evolução vertiginosa do uso de smartphones e tablets no Brasil, é um fato claro como água que essa tendência já está em curso entre nós, faltando apenas uma pesquisa que a traga à tona. O problema é que, no momento em que essa pesquisa for realizada e divulgada, os seus concorrentes vão começar a corrida pelo Eldorado dos smartphones, aumentando os custos de entrada e corroendo as margens de lucro.

Quem quer ter vantagem competitiva precisa agir antes dos concorrentes.

Sua empresa quer ir em busca dessa vantagem? Entre em contato conosco através do formulário a seguir para desenvolvermos para sua empresa uma estratégia vencedora de marketing de conteúdo para smartphones e tablets.







Artigos relacionados