Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais


Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Porque sua empresa precisa levar a sério o seu business blog?

Foi destaque de capa a matéria sobre Business Blog escrita por Géssica Hellmann para a edição de setembro/2013 da revista Business Review Brasil.

Porque sua empresa precisa levar a sério o seu business blog?

Porque sua empresa precisa levar a sério o seu business blog?

Um blog corporativo pode ser um passaporte para a liderança de pensamento em seu mercado. Entenda como aproveitar essa oportunidade. Leia o artigo na íntegra em: http://www.businessreviewbrasil.com.br/magazines/2013/September

Pesquisa Marketing Digital 2013: Táticas

No questionário da “Pesquisa Marketing Digital 2013: o papel das Agências e Consultorias”, a questão 5 se referia às ferramentas (táticas) de marketing digital adotadas pelas empresas para atingir seus objetivos. Confra as respostas no gráfico 1.

Gráfico 1 - Pergunta 5: "Quais das seguintes ferramentas de marketing digital sua empresa utiliza atualmente? Fonte: Géssica Hellmann & Cia (2013).

Gráfico 1 – Pergunta 5: “Quais das seguintes ferramentas de marketing digital sua empresa utiliza atualmente? Fonte: Géssica Hellmann & Cia (2013).

Entre as muitas informações interessantes nessa lista de táticas de marketing, gostaríamos de destacar as seguintes:

  1. Predominância absoluta do Facebook. Este dado não chega exatamente a constituir uma surpresa, já que se trata da rede social mais “badalada” pela imprensa na atualidade. A própria visibilidade do Facebook já lhe garantiria predominância sobre outras mídias. Entretanto, a presença de recursos publicitários cada vez mais interessantes para os anunciantes de todos os portes é um chamariz adicional para explicar o seu sucesso.
  2. Destaque para o Linkedin. Este resultado pode ser creditado, ao menos parcialmente, ao fato de que a nossa amostra de respondentes foi contactada através da própria rede social Linkedin. Entretanto, o crescimento do Linkedin no Brasil tem sido notícia constante na imprensa brasileira. Esse fator de visibilidade, ao lado da própria familiaridade crescente dos executivos com a ferramenta, dá uma dimensão melhor do potencial que essa rede social representa hoje para as empresas brasileiras. Não por acaso, o número de citações do Linkedin foi, em nossa pesquisa, 10 pontos percentuais maior do que a média entre os executivos ativos em empresas B2B.
  3. SEO pela metade. A tática “SEO On Page” foi a terceira mais citada, com pouco mais de 40%, enquanto a tática “SEO Off Page” ficou em um modestíssimo décimo-segundo lugar, com pouco mais de 10% das citações. Incrivelmente, parece que boa parte do mercado ainda acha que SEO é algum tipo de código que se coloca nas páginas do site, ignorando completamente a necessidade do serviço de divulgação da páginas do site em sites de terceiros, atividade conhecida como “link building” ou “SEO Off-Page”.
  4. Email marketing. As respostas de nossa amostra deixam-nos bastante otimistas quanto à evolução desta tática: embora o e-mail marketing (com opt-in) esteja em quarto lugar com mais de 40% das citações, menos de 10% admitem apelar à compra de listas de e-mails para envio de mensagens não autorizadas (spam).
  5. Twitter e Blog. A posição de destaque ocupada pelo blog corporativo e pelo Twitter, praticamente empatados no quinto e sexto lugares com cerca de 40% das citações, à frente da publicidade de banners e outras formas de marketing digital, pode ser interpretada ao menos parcialmente como reflexo de uma preocupação crescente com o uso de técnicas de marketing de conteúdo entre as empresas brasileiras.
  6. Publicidade PPC e o resto. Há um abismo entre o número de citações da Publicidade PPC, em 11º lugar com quase 30%, e o do SEO off-page, em 12º lugar com pouco mais de 10% das citações. Neste “terceiro time” de técnicas menos citadas, há de tudo um pouco, desde tecnologias tradicionais a caminho do desuso até táticas bastante recentes em franco crescimento. Vale observar o baixíssimo número de citações da tática de “compras coletivas”, em último lugar, com apenas 1 citação.

Na média, cada empresa declarou a utilização de um mix com 6,05 ferramentas de marketing digital, deixando claro que a aposta é no efeito agregado das diferentes ferramentas, em busca de sinergia na produção de resultados.

Precisa de ajuda para otimizar o mix de táticas de comunicação em sua empresa? Entre em contato pelo formulário abaixo!







91% dos executivos brasileiros leem blogs

No artigo “O mapa da mídia no Brasil e na América Latina – Parte 1” publicamos a seguinte informação, que talvez tenha passado despercebida em meio a tantas outras:

O que fazem os brasileiros na internet? As principais atividades em que os brasileiros se engajam quando estão na internet são as seguintes:

  1. Leitura de blogs: Blogs têm uma taxa de 96% de penetração entre os usuários brasileiros de internet e 91% penetração entre os executivos brasileiros

A consequência prática dessa informação é evidente por si mesma: as empresas do mercado B2B que conseguirem produzir blogs corporativos com conteúdo interessante para os executivos brasileiros terão a máxima probabilidade de que as suas mensagens cheguem à pessoa certa.

O seu desafio, portanto, não é decidir se a sua empresa precisa de um blog. O desafio é publicar conteúdo nesse blog que seja interessante para os executivos que você deseja influenciar.

A solução para esse desafio se chama “Plano Editorial“.

O plano editorial é um documento que sintetiza as principais decisões relativas ao conteúdo do seu blog. Vejamos alguns exemplos de decisões que constam de um plano editorial:

  • Conceito. É fundamental para o sucesso do seu blog que ele tenha uma proposta diferenciada, uma abordagem diferente, uma ideia central que permita identificá-lo em meio a outras publicações na web.
  • Título do blog. É preciso escolher um título que reflita o conceito ou o tema geral que gera o maior interesse em seu público-alvo.
  • Periodicidade. Refere-se à frequência de atualização do blog: diária, em dias alternados, semanal, quinzenal, mensal. Em seguida, é preciso também decidir o volume de cada atualização, isto é, se cada atualização incluirá apenas uma ou várias postagens de cada vez.
  • Temas e Assuntos. Dentro do tema geral do blog pode-se produzir uma variedade imensa de conteúdo sobre os mais diversos assuntos com um variadíssimo leque de abordagens. O plano editorial definirá quais serão os temas e a abordagem que eles receberão.
  • Tipos de conteúdo não-textual. Embora um blog possa ser constituído somente de texto, é possível e desejável incluir regularmente fotos, ilustrações, infográficos, vídeos, podcasts, e-books, apresentações de slides, entre muitos outros. O plano editorial definirá quando e como esse conteúdo será produzido e publicado.
  • Tipo de conteúdo textual. Os conteúdos de texto de um blog podem assumir tantas formas quanto qualquer outra publicação: artigos opinativos, entrevistas, notícias, resumos, press releases, comunicados. O plano editorial definirá o mix adequado de cada conteúdo textual publicado no seu blog corporativo.

É evidente que um blog corporativo produzido a partir de um plano editorial detalhado e, preferencialmente, baseado em pesquisa prévia junto ao público visado, terá toda a probabilidade de ser incluído na lista de leituras dos executivos a quem sua empresa deseja influenciar.

Assim, caso o blog de sua empresa não esteja chegando às pessoas com quem você deseja falar, a solução é fazer um novo plano editorial, desta vez sob a orientação de nossa empresa. Afinal, como você pode conferir em nosso arquivo, nós abordamos cientificamente a estratégia de blogs corporativos desde 2008, dispondo de todo o conhecimento e a experiência necessários para produzir um plano editorial vencedor para o blog de sua empresa.

Entre em contato pelo formulário a seguir e converse com a gente.







O mapa da mídia no Brasil e na América Latina – Parte 1

A empresa US Media Consulting apresentou no dia 8 de março um extenso relatório consolidando os dados de mais de 200 pesquisas sobre os padrões de consumo de mídia no Brasil e na América Latina. Neste artigo, apresentaremos os principais resultados relativos à realidade brasileira em relação ao consumo das diversas mídias on e offline.

Gráfico 1 - Crescimento das mídias publicitárias no Brasil (1º sem/2012). Fonte: Us Media Consulting (mar/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

Gráfico 1 – Crescimento das mídias publicitárias no Brasil (1º sem/2012). Fonte: Us Media Consulting (mar/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

O Brasil e o consumo da classe C

  • Classe C: crescimento explosivo. Embora a classe B seja responsável pela maior fatia do consumo das famílias no Brasil (51%), a classe C é a mais numerosa e a que cresce mais rapidamente, somando 105 milhões de brasileiros em 2011. Esse número é equivalente a 55% da população, uma proporção que deve atingir 58% em 2014.
  • Classe C a caminho da gastança. O consumo da classe C em 2012 somou mais de 1 trilhão de reais e projeta-se que esse valor chegará a 1,46 trilhão de reais em 2015, um número maior do que a soma dos valores do consumo das classes A e B.

A ascensão contínua do mercado publicitário brasileiro

  • Quinto maior mercado do mundo. Em 2014, o Brasil se tornará o quinto maior mercado publicitário do mundo, com um investimento total de 22 bilhões de dólares, atrás apenas de Estados Unidos, Japão, China e Alemanha. Esse número representa um crescimento de 45% em relação a 2011, quando o investimento publicitário somou 15,3 bilhões de dólares.
  • A disparada da internet. A internet é a mídia publicitária que cresce à taxa mais alta no Brasil (15,46% no primeiro semestre de 2012), à frente até mesmo da TV paga (15%) – confira os dados do gráfico 1.
  • TV aberta abocanha as verbas. A mídia que absorve a parte do leão das verbas publicitárias ainda é a tradicional, liderada por TV aberta (63%), Jornais (11,8%) e Revistas (7,1%). A internet assumiu a quarta posição (5,1%), à frente da TV paga, rádio, outdoor e cinema, confira no Gráfico 2.
    Gráfico 2 - Participação das Mídias no bolo publicitário - Brasil (2011). Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

    Gráfico 2 – Participação das Mídias no bolo publicitário – Brasil (2011). Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

  • Penetração das mídias. Quanto à penetração das mídias na população, a TV aberta lidera absoluta, com 97%, seguida por outdoor (86%), rádio (78%), jornais (60%), revistas (54%) e internet (40%). A TV a cabo ainda aparece como opção de baixa penetração, atingindo apenas 28% da população.

Mídia impressa resiste e prospera

  • Jornais impressos. A circulação dos jornais impressos continua crescendo no Brasil, a taxas de 1,8% em 2012 e 3,5% em 2011. Aproximadamente 46% dos brasileiros leem algum jornal.
  • A ascensão das revistas. A circulação de revistas no Brasil em 2011 bateu recorde de 13,7 milhões de exemplares vendidos. A penetração da mídia revista nas classes A e B é de 63% e, na classe C, de 38%.

TV e rádio: amores antigos

  • TV aberta: fonte preferencial. Para 90% dos brasileiros, a TV aberta é a fonte preferida de informação e notícias. Cerca de 175 milhões de brasileiros assistem à TV por uma média de 5 horas e 28 minutos diários.
  • TV paga: a evolução natural do hábito. 14,5 milhões de lares brasileiros já possuem TV por assinatura. Espera-se que essa mídia atinja 90% de penetração em 2018.
  • Rádio: o companheiro fiel. 90% dos lares brasileiros têm pelo menos 1 aparelho de rádio. 75% dos brasileiros afirmam ter ouvido rádio pelo menos uma vez nos últimos 7 dias. 49% dos brasileiros que têm aparelhos celulares capazes de receber a programação das rádios usam-nos regularmente para esse fim.
  • A segmentação do público do rádio. 80% dos automóveis em circulação no Brasil estão equipados com rádio. Considerando apenas a audição dentro do carro, a maioria dos ouvintes é composta por homens das classes A e B entre 25 e 54 anos. Entretanto, 36% do total dos ouvintes de rádio brasileiros são mulheres das classes CDE. Entre os brasileiros que ouvem rádio dentro do transporte público, 63% são adultos jovens, entre 20 e 34 anos.

Internet: paixão crescente

  • Todo mundo quer ter internet.Em 2012, o Brasil atingiu a marca de 85 milhões de usuários de internet, um número que deve subir a 154 milhões já em 2014, atingindo 80% dos lares
  • Usuários ativos. 70 milhões de brasileiros são usuários ativos, isto é, acessam-na regularmente de casa ou do trabalho.
  • O brasileiro é móbile. 73 milhões de brasileiros são assinantes de internet banda larga móvel, um crescimento de 421% em relação a 2010.
  • Internet é para comprar. Enquanto 67% das consumidoras brasileiras usam a internet antes de fazer uma compra, 95% dos consumidores brasileiros procuram informações online antes de comprar um carro
  • Publicidade na internet dá resultado. 68% dos usuários de internet brasileiros admitem que anúncios online influenciam suas decisões de compra. 57% dizem que são motivados a comprar produtos promovidos através de anúncios na internet, 56% dizem que são motivados por anúncios a visitar lojas online e 56% dizem que usam as mídias sociais para comprar produtos.
  • Mídia offline aumenta a eficácia da mídia online. 79% dos usuários de internet no Brasil pesquisam na internet informações sobre produtos que conheceram na mídia offline. As mídias offline que mais motivam a pesquisar produtos online são a TV (51%), Mídias Impressas (35%) e Outdoor (27%).
  • O que fazem os brasileiros na internet? As principais atividades em que os brasileiros se engajam quando estão na internet são as seguintes:
    1. Compras: 31 milhões de brasileiros visitam sites de e-commerce todo mês
    2. Busca de ofertas: Sites de descontos e cupons no Brasil cresceram 379% entre maio de 2010 e maio de 2011
    3. Mídia social: 97% dos usuários brasileiros de internet estão nas mídias sociais
    4. Leitura de blogs: Blogs têm uma taxa de 96% de penetração entre os usuários brasileiros de internet e 91% penetração entre os executivos brasileiros
    5. Jogos: os brasileiros gastaram 2 bilhões de dólares em jogos online em 2011
    6. Assistir a vídeos: O Brasil é o líder na América Latina em número de vídeos online assistidos e em número de espectadores únicos

Conclusão da primeira parte

O que pode ser mais eloquente do que um número? Que tipo de argumento ainda é necessário para convencer alguém de que o mercado brasileiro oferece uma magnífica oportunidade para as empresas dispostas a investir na publicidade de suas marcas? Será preciso ainda explicar por que uma empresa que anuncia tem toda a probabilidade de vender mais do que outra que esconde sua marca embaixo da cama?

Tenha sempre em mente que os fracassos em comunicação são sempre consequência de uma abordagem baseada em improvisação e amadorismo.

O fator que sempre fará toda a diferença a favor do sucesso de uma campanha de comunicação de marketing é o fundamento científico de quem vai planejá-la. É preciso contar com o auxílio de profissionais que estejam atualizados com as mais recentes pesquisas sobre as técnicas, mídias e comportamentos dos consumidores para formular um plano orientado estrategicamente para seus objetivos. Agindo desta forma, você pode contar com praticamente 100% de confiança no sucesso de suas campanhas.

Precisa de ajuda para ter sucesso na comunicação de sua marca? Entre em contato pelo formulário a seguir!







Marketing online: as 7 condições para o sucesso

1 – O seu site deve ser otimizado para seres humanos

Por um lado, o Google não cessa jamais de aperfeiçoar o seu algoritmo. Por outro, quem vai comprar o seu produto não é o Google, mas as pessoas que vão chegar até seu site e se informar sobre sua oferta. Por isso, o SEO deve ser consequência de sua estratégia de marketing na internet, jamais a causa ou o objetivo final.

Pense primeiro nos argumentos de vendas, depois nos detalhes de SEO.

2 – O marketing de conteúdo atende à necessidade que os clientes têm de se aprofundar nos benefícios do seu produto

Cada peça de conteúdo que você cria e distribui nas mídias sociais é uma oportunidade de conscientizar seus clientes atuais e potenciais de mais um benefício relacionado ao uso de seus produtos. O segredo do sucesso no marketing de conteúdo é se aprofundar, oferecendo os detalhes e resolvendo as dúvidas dos seus clientes.

Conteúdo superficial pode até ter “efeito viral”, mas não traz benefícios para a credibilidade da marca.

3 – É fundamental mostrar coerência na imagem da marca em todas as formas de comunicação, independente de meio e mensagem

A maneira de conquistar a coerência na comunicação é criando um conceito unificador que se manifesta sob a forma de uma ideia central consolidada em uma frase (o slogan). A partir dessa ideia central, é possível desenvolver inúmeros conjuntos de palavras-chaves, bordões, personagens, imagens e situações que enfatizem essa ideia em campanhas diferenciadas nas mais variadas mídias.

O resultado da coerência na comunicação é a crescente credibilidade da sua marca

4 – Um blog corporativo deve ser fruto de pesquisa

Um blog corporativo, para ter sucesso, deve trazer informações que não seja possível de encontrar facilmente por outros meios. Garimpe informações em função de seu potencial interesse e utilidade para os seus clientes atuais e potenciais e seu blog rapidamente se tornará referência no mercado.

A chave do marketing de conteúdo em blogs corporativos é pesquisar informações úteis e interessantes, não muito fáceis de encontrar em outras mídias

5 – SEO, Marketing em Redes Sociais e Marketing de Conteúdo não são substitutos para campanhas publicitárias

De fato, as campanhas publicitárias são praticamente imprescindíveis para amplificar o sucesso das outras formas de marketing. A publicidade é a única forma de comunicação comprovadamente capaz de levar uma mensagem a um grande número de pessoas instantaneamente. Assim, é preciso pelo menos contar com uma campanha publicitária de apoio a todas as suas ações nas outras mídias sempre que a rapidez dos resultados for um fator essencial ao sucesso.

Campanhas publicitárias existem para gerar visibilidade instantânea.

6 – Todas as ações de comunicação devem seguir uma orientação estratégica

É preciso afinar os objetivos da comunicação com os objetivos gerais da empresa e os objetivos de marketing traçados para os produtos ou marcas que se deseja promover na internet. Essa integração é essencial para definir as tarefas que a comunicação deve cumprir, garantindo que a mensagem certa chegue às pessoas que se pretende influenciar em cada campanha.

Os objetivos de comunicação devem ser a consequência lógica da estratégia empresarial e dos objetivos de marketing

7 – Segurança é resultado de metodologia de base científica

Num mercado em que a justificativa para muitas recomendações é o “feeling” e outros eufemismos para “achismo”, nossa intenção é assegurar que o cliente obtenha sempre o melhor resultado possível seguindo uma metodologia de base científica, fundamentada em pesquisa. Além disso, é essencial definir um cronograma de ações para pelo menos 12 meses, seguindo etapas lógicas, objetivos claros e metodologia predefinida.

O sucesso é muito mais provável quando as ações de marketing estão previstas em um plano fundamentado em pesquisa

Precisa de ajuda para implementar em sua empresa a política descrita neste artigo? Entre em contato pelo formulário a seguir!