Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Será que todo cliente potencial precisa de meus serviços de SEO (otimização de sites)?

Arquivos: , ,

Autor: Alex Oliveira | Data: 26/08/2008 |


Hoje, eu disse para um cliente potencial que ele não precisava de meus serviços e deveria continuar com seu atual profissional de SEO.

Um blog também é um espaço para reflexões pessoais. Este blog não foge à regra, por isso, vou tratar aqui desse caso, dessa pergunta: será que devo lutar para conquistar todo e qualquer cliente potencial que apareça, independente de minha capacidade de fazer mais por ele do que ele já tem?

A lógica financeira do curto prazo diz “sim, sim!”. Todo cliente que paga é dinheiro a mais, que não viria de outra forma.

Mas o meu coração disse “não, continue onde está, que está bem”.

E eu disse isso para o cliente.

Aconteceu assim: uma pessoa me convida para o MSN e me perguntou, diretamente, se eu “faço sites aparecerem no Google“.

“Trabalho para isso”, respondi.

“Quanto custa”?

SEO não é um produto industrial padronizado, em que você possa pespegar um preço padrão numa etiqueta. A resposta a essa pergunta é, sempre, “depende do caso“. Mas, na situação, pedi o URL do site para estudar o caso rapidamente.

Não gostei do design nem da solução de desenvolvimento adotada. Mas não sou designer nem desenvolvedor e, como diziam nossos avós, gosto não se discute. Do ponto de vista do SEO On-Page, não havia muita coisa a fazer, exceto algumas correções menores.

Avaliei alguns outros fatores, como os links externos, Alexa Rank, indexação das páginas. Tudo ok. Ele recorria a trocas de links e, embora não seja o ideal, estava funcionando bem para o caso dele.

Cauteloso, perguntei:

“Qual foi o motivo da dispensa do profissional anterior? O trabalho de otimização está muito melhor do que a maioria das coisas que costumo ver por aí”.

“Ah, sim, ele é muito bom. Ele não está saindo por motivos técnicos, mas por atrito pessoal”.

“Bem, do ponto de vista da otimização das páginas, não há muito que possa fazer, exceto este, este e este pequeno detalhe que você mesmo pode resolver. Estou vendo que vocês usam troca de links, eu posso fazer melhor do que isso, criando links unidirecionais para seu site”.

“Quanto custa?”

“X reais”.

“Mas eu estou pagando 10 vezes menos pela troca de links e estamos na primeira página do Google para esta, esta e esta palavra-chave”.

Fui avaliar o caso. Realmente, a troca de links funciona muito bem no caso deles. Eles participam de um nicho de mercado muito específico, com pouquíssimos concorrentes. Nessas circunstâncias, não é preciso grande esforço e investimento para conseguir bons rankings e audiência qualificada.

“Nesse caso, recomendo que você continue com a troca de links”.

Foi uma recomendação 100% honesta. Ele está obtendo ótimos benefícios a um custo realmente muito baixo. Assim, ele não precisa de meus serviços.

Você pode me achar idealista ou ingênuo por dizer a um cliente potencial que ele não precisa dos meus serviços. Talvez seja, não sou a melhor pessoa para julgar a mim mesmo.

Em minha defesa posso apenas dizer que a honestidade costuma pagar muito bem. Por isso, quando meu coração disse “ele não precisa de mim”, deixei que meus dedos dissessem a mesma coisa.

Precisa de ajuda? Entre em contato pelo formulário abaixo!







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.