Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


O mapa da mídia no Brasil e na América Latina – Parte 1

Arquivos: , , , , ,

Autor: Géssica Hellmann | Data: 21/03/2013 |


A empresa US Media Consulting apresentou no dia 8 de março um extenso relatório consolidando os dados de mais de 200 pesquisas sobre os padrões de consumo de mídia no Brasil e na América Latina. Neste artigo, apresentaremos os principais resultados relativos à realidade brasileira em relação ao consumo das diversas mídias on e offline.

Gráfico 1 - Crescimento das mídias publicitárias no Brasil (1º sem/2012). Fonte: Us Media Consulting (mar/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

Gráfico 1 – Crescimento das mídias publicitárias no Brasil (1º sem/2012). Fonte: Us Media Consulting (mar/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

O Brasil e o consumo da classe C

  • Classe C: crescimento explosivo. Embora a classe B seja responsável pela maior fatia do consumo das famílias no Brasil (51%), a classe C é a mais numerosa e a que cresce mais rapidamente, somando 105 milhões de brasileiros em 2011. Esse número é equivalente a 55% da população, uma proporção que deve atingir 58% em 2014.
  • Classe C a caminho da gastança. O consumo da classe C em 2012 somou mais de 1 trilhão de reais e projeta-se que esse valor chegará a 1,46 trilhão de reais em 2015, um número maior do que a soma dos valores do consumo das classes A e B.

A ascensão contínua do mercado publicitário brasileiro

  • Quinto maior mercado do mundo. Em 2014, o Brasil se tornará o quinto maior mercado publicitário do mundo, com um investimento total de 22 bilhões de dólares, atrás apenas de Estados Unidos, Japão, China e Alemanha. Esse número representa um crescimento de 45% em relação a 2011, quando o investimento publicitário somou 15,3 bilhões de dólares.
  • A disparada da internet. A internet é a mídia publicitária que cresce à taxa mais alta no Brasil (15,46% no primeiro semestre de 2012), à frente até mesmo da TV paga (15%) – confira os dados do gráfico 1.
  • TV aberta abocanha as verbas. A mídia que absorve a parte do leão das verbas publicitárias ainda é a tradicional, liderada por TV aberta (63%), Jornais (11,8%) e Revistas (7,1%). A internet assumiu a quarta posição (5,1%), à frente da TV paga, rádio, outdoor e cinema, confira no Gráfico 2.
    Gráfico 2 - Participação das Mídias no bolo publicitário - Brasil (2011). Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

    Gráfico 2 – Participação das Mídias no bolo publicitário – Brasil (2011). Fonte: US Media Consulting (março/2013). Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

  • Penetração das mídias. Quanto à penetração das mídias na população, a TV aberta lidera absoluta, com 97%, seguida por outdoor (86%), rádio (78%), jornais (60%), revistas (54%) e internet (40%). A TV a cabo ainda aparece como opção de baixa penetração, atingindo apenas 28% da população.

Mídia impressa resiste e prospera

  • Jornais impressos. A circulação dos jornais impressos continua crescendo no Brasil, a taxas de 1,8% em 2012 e 3,5% em 2011. Aproximadamente 46% dos brasileiros leem algum jornal.
  • A ascensão das revistas. A circulação de revistas no Brasil em 2011 bateu recorde de 13,7 milhões de exemplares vendidos. A penetração da mídia revista nas classes A e B é de 63% e, na classe C, de 38%.

TV e rádio: amores antigos

  • TV aberta: fonte preferencial. Para 90% dos brasileiros, a TV aberta é a fonte preferida de informação e notícias. Cerca de 175 milhões de brasileiros assistem à TV por uma média de 5 horas e 28 minutos diários.
  • TV paga: a evolução natural do hábito. 14,5 milhões de lares brasileiros já possuem TV por assinatura. Espera-se que essa mídia atinja 90% de penetração em 2018.
  • Rádio: o companheiro fiel. 90% dos lares brasileiros têm pelo menos 1 aparelho de rádio. 75% dos brasileiros afirmam ter ouvido rádio pelo menos uma vez nos últimos 7 dias. 49% dos brasileiros que têm aparelhos celulares capazes de receber a programação das rádios usam-nos regularmente para esse fim.
  • A segmentação do público do rádio. 80% dos automóveis em circulação no Brasil estão equipados com rádio. Considerando apenas a audição dentro do carro, a maioria dos ouvintes é composta por homens das classes A e B entre 25 e 54 anos. Entretanto, 36% do total dos ouvintes de rádio brasileiros são mulheres das classes CDE. Entre os brasileiros que ouvem rádio dentro do transporte público, 63% são adultos jovens, entre 20 e 34 anos.

Internet: paixão crescente

  • Todo mundo quer ter internet.Em 2012, o Brasil atingiu a marca de 85 milhões de usuários de internet, um número que deve subir a 154 milhões já em 2014, atingindo 80% dos lares
  • Usuários ativos. 70 milhões de brasileiros são usuários ativos, isto é, acessam-na regularmente de casa ou do trabalho.
  • O brasileiro é móbile. 73 milhões de brasileiros são assinantes de internet banda larga móvel, um crescimento de 421% em relação a 2010.
  • Internet é para comprar. Enquanto 67% das consumidoras brasileiras usam a internet antes de fazer uma compra, 95% dos consumidores brasileiros procuram informações online antes de comprar um carro
  • Publicidade na internet dá resultado. 68% dos usuários de internet brasileiros admitem que anúncios online influenciam suas decisões de compra. 57% dizem que são motivados a comprar produtos promovidos através de anúncios na internet, 56% dizem que são motivados por anúncios a visitar lojas online e 56% dizem que usam as mídias sociais para comprar produtos.
  • Mídia offline aumenta a eficácia da mídia online. 79% dos usuários de internet no Brasil pesquisam na internet informações sobre produtos que conheceram na mídia offline. As mídias offline que mais motivam a pesquisar produtos online são a TV (51%), Mídias Impressas (35%) e Outdoor (27%).
  • O que fazem os brasileiros na internet? As principais atividades em que os brasileiros se engajam quando estão na internet são as seguintes:
    1. Compras: 31 milhões de brasileiros visitam sites de e-commerce todo mês
    2. Busca de ofertas: Sites de descontos e cupons no Brasil cresceram 379% entre maio de 2010 e maio de 2011
    3. Mídia social: 97% dos usuários brasileiros de internet estão nas mídias sociais
    4. Leitura de blogs: Blogs têm uma taxa de 96% de penetração entre os usuários brasileiros de internet e 91% penetração entre os executivos brasileiros
    5. Jogos: os brasileiros gastaram 2 bilhões de dólares em jogos online em 2011
    6. Assistir a vídeos: O Brasil é o líder na América Latina em número de vídeos online assistidos e em número de espectadores únicos

Conclusão da primeira parte

O que pode ser mais eloquente do que um número? Que tipo de argumento ainda é necessário para convencer alguém de que o mercado brasileiro oferece uma magnífica oportunidade para as empresas dispostas a investir na publicidade de suas marcas? Será preciso ainda explicar por que uma empresa que anuncia tem toda a probabilidade de vender mais do que outra que esconde sua marca embaixo da cama?

Tenha sempre em mente que os fracassos em comunicação são sempre consequência de uma abordagem baseada em improvisação e amadorismo.

O fator que sempre fará toda a diferença a favor do sucesso de uma campanha de comunicação de marketing é o fundamento científico de quem vai planejá-la. É preciso contar com o auxílio de profissionais que estejam atualizados com as mais recentes pesquisas sobre as técnicas, mídias e comportamentos dos consumidores para formular um plano orientado estrategicamente para seus objetivos. Agindo desta forma, você pode contar com praticamente 100% de confiança no sucesso de suas campanhas.

Precisa de ajuda para ter sucesso na comunicação de sua marca? Entre em contato pelo formulário a seguir!







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.