Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Pesquisa: o desafio dos talentos em marketing online

Arquivos: , ,

Autor: Géssica Hellmann | Data: 13/11/2013 |


O Online Marketing Institute (OMI) divulgou recentemente uma pesquisa sobre a qualidade das equipes de marketing digital em empresas americanas. Produzido em parceria com ClickZ e Kelly Services, o estudo foi realizado através de questionário online, tendo obtido respostas de um total de 747 organizações. Confira a seguir os principais resultados.

Figura 1 - Nível de conhecimento das equipes de marketing digital: somam menos de 2% as equipes fortes em todos os fundamentos - Fonte: Online Marketing Institute (2013) - Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

Figura 1 –  Nível de conhecimento das equipes de marketing digital: somam menos de 2% as equipes fortes em todos os fundamentos – Fonte: Online Marketing Institute (2013) – Gráfico por Géssica Hellmann & Cia.

  • Lacunas de conhecimento. 71% das empresas pesquisadas relatam lacunas de conhecimento em suas equipes de marketing online, retratadas como fortes em algumas áreas e medíocres ou fracas em outras (Figura 1). Mais de 1 em cada 5 empresas (21%) descrevem suas equipes como medíocres ou fracas em todas áreas. As áreas em que se notam maiores lacunas são marketing móvel (mobile marketing), análise estatística e automação de marketing.
  • Necessidade de especialistas. 22% observam crescimento na necessidade de especialistas, principalmente em análise estatística (analytics), e-mail, marketing de conteúdo, mobile marketing e mídias sociais.
  • Espaço para iniciantes. Há oportunidades para profissionais iniciantes em todas as áreas, especialmente nas mídias sociais. As oportunidades para gerentes de nível médio estão localizadas mais fortemente nas áreas de marketing de conteúdo e web analytics.
  • O poder do “QI” (“Quem indicou”). 70% das empresas e 75% das agências se baseiam em indicações para satisfazer suas necessidades de contratação.
  • Barulho demais, talento de menos. Mais de um terço dos respondentes não efetuaram contratações por não conseguir identificar uma fonte confiável de talentos em meio aos diversos modismos que pululam no mercado.
  • Afogados em um mar de currículos. 30% das empresas e 24% das agências não conseguem analisar adequadamente os currículos que recebem, sendo incapazes de identificar o indivíduo com a habilidade certa entre os diversos candidatos.
  • Desnível entre os membros da equipe. A maior parte do conhecimento disponível na empresa é herdado da experiência individual dos colaboradores: somente 22% das maiores empresas têm programas de nivelamento e apenas 10% aplicam algum tipo de teste para avaliar o quanto o conhecimento adquirido resultou em novas habilidades úteis para a empresa. O departamento de RH apenas raramente é convocado para participar desses programas.
  • Sem critérios de avaliação objetivos. Mais de 80% dos respondentes usam apenas a experiência anterior como critério de avaliação das habilidades do funcionário, não dispondo de técnicas consistentes de avaliação.
  • Quando a ignorância se casa com a arrogância. Apesar da falta de qualificações dos candidatos a colaborador, 70% dos respondentes afirmam que os novos colaboradores alimentam a expectativa de ser promovidos antes de provar suas qualidades com realizações concretas.
  • Cursos e fontes bibliográficas. 80% dos respondentes disseram ter necessidade de uma biblioteca online de aulas de marketing digital. 70% manifestaram interesse em cursos à distância personalizados ou oficinas e treinamentos presenciais.

Consequências para as empresas brasileiras

Este estudo, embora realizado nos Estados Unidos, reflete uma realidade com a qual estamos familiarizados no Brasil: reduzida disponibilidade de informação confiável, limitadas opções de cursos de formação, mão de obra desnivelada que dispõe apenas de uma visão parcial do processo, sendo incapaz de dominar o quadro geral.

A solução para este problema é uma só: investir no conhecimento. Crie em sua empresa sua própria biblioteca digital e incentive os funcionários a consultá-la. Assine revistas, pesquisas, compre livros e disponibilize-os para estudo de sua equipe.

Principalmente, pare de fazer de seus processos seletivos de pessoal uma gincana de situações sem sentido e comece a aplicar provas de conhecimento a seus candidatos. Faça de suas entrevistas de seleção muito mais uma oportunidade para arguição oral do que uma coleção de “pegadinhas” para verificar se o candidato é capaz de dar a resposta “politicamente correta”.

Adote critérios objetivos de premiação e promoção, que incluam metas expressas em termos de conhecimento e de aquisição de habilidades ao longo do ano.

Enfim, faça com que, em sua empresa, o conhecimento ocupe posição central. Somente assim você será capaz de atrair e reter os talentos que detêm o conhecimento de que você necessita.

Gostou da ideia? Entre em contato.







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.