Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Mídias sociais no mercado B2B

Arquivos: , , , , , , ,

Autor: Géssica Hellmann | Data: 20/07/2009 |


Vamos explorar neste artigo algumas possibilidades de utilização das mídias sociais no mercado B2B.

A web facilita o acesso a fornecedores/produtos em várias partes do mundo. Quando a questão é compra corporativa por atacado (B2B), a web também também se tornou um meio de aumentar a eficiência corporativa, diminuindo custos e aumentado a flexibilidade das empresas. Essa tendência foi confirmada em recente estudo da eMarketer, que mostra que o investimento em marketing e ferramentas de B2B continua a crescer em 2009.

O que é o B2B

Business to Business (B2B) é a criação ou integração de processos e operações entre empresas. O B2B utiliza sistemas que permitem que empresas do mesmo setor ou de setores distintos, parceiros ou concorrentes, fornecedores ou clientes, possam comprar, vender, trocar, gerenciar e compartilhar informações e recursos com o objetivo de maximizar as transações comerciais. Em outras palavras, inclui toda a tecnologia de comunicação e marketing online utilizada com o objetivo de facilitar a gestão das vendas de produtos ou serviços de uma empresa para outra empresa.

A diferença entre B2B e B2C (Business to Consumer), é que o primeiro refere-se ao comércio entre empresas e, o segundo, trata do comércio entre empresa e consumidor final. O e-business não é mais uma escolha, já é uma necessidade para que uma empresa seja competitiva em seu segmento de negócios.

Neste artigo, trataremos somente sobre o B2B como estratégia de marketing e ferramenta facilitadora para negócios e comercialização entre empresas. Podemos dividir em três grupos os sistemas de B2B na web:

Intranet:
Portais em que a empresa promove a comunicação interna para com os seus colaboradores e entre colaboradores. Através desses portais, é possível unir os colaboradores da empresa, independentemente do local físico onde se encontrem e, portanto, vencer as distâncias que os separam.

Extranet:
São portais em que se promovem as relações entre empresas (B2B) ou entre uma dada empresa e as empresas com quem ela pretendem manter relações.

E-markeplaces:
São plataformas de intermediação que promovem a união de várias organizações compradoras e vendedoras. A negociação de produtos e serviços tem como suporte a Internet, que facilita e promove a compra online.

Características fundamentais das redes B2B bem sucedidas

  • Promovem a integração e a colaboração entre vários parceiros, permitindo gestão do inventário, planejamento e programação.
  • Fornecem funcionalidades e serviços a um maior número de participantes.
  • Têm capacidade para lidar com grande volume de dados.
  • Contam com uma infra-estrutura informática para garantir a carga da manipulação e disponibilidade de serviços.
  • Priorizam a segurança nas transações comerciais, prevendo tecnologias como criptografia, SSL ou chaves de validação para segurança entre as negociações.
  • A arquitetura do site com o sistema B2B prevê facilidade na comunicação, sendo fácil de navegar e de utilizar.

Para dar um exemplo de empresas no mercado brasileiro, citamos a Tigre, que implantou redes de relacionamento segmentadas por perfis de clientes: profissionais técnicos, profissionais de obra e profissionais de revenda. Contando com uma rede de relacionamento e informações que contribuem para aprimorar o relacionamento da Tigre com seus parceiros, a empresa possui também um canal de B2B para comercializar seus produtos para os mercados atacadista e corporativo.

Outro exemplo é a Phisalia Produtos de Beleza, empresa familiar especializada em produtos de higiene pessoal e cosmético infantis. Segundo Adriano Arão, gerente de TI da empresa, a empresa adotou há mais de dois anos um portal de B2B integrado ao sistema de ERP utilizado pela equipe de vendas. A integração melhorou o processo de pedidos e otimizou o relacionamento com os seus fornecedores e os revendedores de seus produtos. “Hoje, o representante faz o pedido no portal e, em poucos instantes, recebe a confirmação por e-mail. Pedidos que demoravam dois dias para ser processados agora são obtidos em minutos”.

Com o crescimento das mídias e redes sociais, surgiram outros meios interessantes para expandir a atuação do B2B, como as redes sociais segmentadas com troca de informações integradas às tomadas de decisões para comercialização de produtos e serviços. Um bom exemplo é a rede social do Linkedin que tem a finalidade de possibilitar a formação de redes de relacionamentos profissionais, criando oportunidades de vendas, prospecção de serviços e recrutamento de pessoas. Desta forma o Linkedin também pode ser considerada um mídia social B2B.

Alguns segmentos estão começando a desenvolver suas próprias micro-redes sociais. Um exemplo é o IT Toolbox, um grande sucesso entre profissionais de TI. Outra rede social segmentada é a LawLink voltada para as necessidades dos advogados.

Diretórios (catálogos) de empresas classificados por segmento também podem ser considerados mídias B2B. Um exemplo bastante conhecido é o PlasticsNet.com para a indústria de plástico e a Chemdex para indústria química.

Outras possíveis aplicações das mídias sociais no B2B:

  • Fóruns e grupos de discussão sobre segmentos específicos pode auxiliar a tomada de decisões e a circulação de informações sobre o mercado entre fornecedores e clientes potenciais
  • Blog Corporativo. Uma indústria pode usar o seu blog corporativo para conquistar novos clientes atacadistas, atrair fornecedores de serviços, fortalecer a sua marca perante o consumidor final, entrar em novos negócios e atingir novos mercados.

Outras Fontes:
http://www.malima.com.br/article_read.asp?id=579
http://www.inaciorodrigodecastro.com.br/o-que-e-b2b
http://info.abril.com.br/corporate/erp/portal-b2b-agiliza-vendas.shtml
[Editado em 13/12/2012 – URLs não disponíveis nesta data]

Precisa de ajuda? Entre em contato!







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.