Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


Marketing jurídico no Brasil e a opção das mídias sociais

Arquivos: ,

Autor: Géssica Hellmann | Data: 20/03/2012 |


Advogados preferem comunicação em mão dupla - Imagem por Géssica Hellmann

Advogados preferem comunicação em mão dupla – Imagem por Géssica Hellmann

Retomando nossa série de artigos sobre o marketing para escritórios de advocacia no Brasil, comentamos neste artigo alguns dos mais importantes achados de estudo internacional realizado pela Lexis Nexis e Martindale-Hubble em colaboração no Brasil com a consultoria Gonçalves & Gonçalves.

Como vimos no artigo Marketing para escritórios de advocacia: use a criatividade possível dentro da ética, os escritórios de advocacia dispõem de menor flexibilidade no uso de ferramentas de marketing do que diversos outros ramos de atividade econômica, porém, estão disponíveis muitas formas de contornar as restrições a certas práticas de marketing jurídico dentro dos limites do estrito respeito aos princípios que orientam a ética profissional.

Conforme o mercado brasileiro cresce e se profissionaliza, também é observável a profissionalização crescente das atividades de marketing jurídico, embora não de maneira uniforme entre os diferentes atores no mercado. Segundo o estudo citado no início deste artigo, 63% dos escritórios de advocacia consultados não contam com profissional interno responsável pelo marketing, sendo que apenas 3% contam em seus quadros com 5 ou mais profissionais de marketing em tempo integral.

A ausência de um quadro profissional interno ocupado integralmente com o marketing tem diversas consequências práticas importantes. Uma das mais notáveis é que processos formais de planejamento de marketing são adotados por apenas 38% dos escritórios. Porém, quanto maiores os escritórios, maior é a adoção do planejamento de marketing formal, chegando a 78% no caso dos escritórios que empregam 100 ou mais advogados.

Na ausência de planos, chega-se facilmente ao descontrole de gastos, que tanto podem ser excessivos quanto insuficientes para realizar objetivos que sequer foram formalizados. A pesquisa revela que apenas 28% dos escritórios contam com procedimentos formais para elaboração do orçamento de marketing.

A consequência inevitável é a terceirização da maior parte das tarefas de marketing, sendo que as tarefas mais frequentemente terceirizadas são as de comunicação: criação de materiais de divulgação (80%), manutenção de sites institucionais (65%), assessoria de imprensa (50%), criação de anúncios (40%) e organização de eventos (30%).

Quanto às ações de comunicação de marketing, o estudo revela uma preferência por ações de comunicação “de mão dupla”, isto é, que permitam o feedback imediato do cliente, em detrimento de atividades “de mão única”.

As 5 atividades de comunicação de marketing “de mão única” percebidas como mais eficientes, por ordem de importância, são (1) sites institucionais, (2) presença na mídia, (3) artigos, (4) alertas para clientes e (5) informativos segmentados.

Já as 5 atividades “de mão dupla” preferidas pelos profissionais de marketing jurídico são (1) apresentações, (2) networking, (3) alianças, (4) participação em reuniões internas dos clientes e (5) análise da clientela.

Curiosamente, as atividades “de mão dupla” menos bem avaliadas envolvem justamente o uso de recursos tecnológicos envolvendo a internet: marketing em redes sociais, blogs e seminários virtuais.

Dissemos que esse resultado é “curioso” especialmente porque o estudo revela que essas ferramentas abrem a possibilidade real de chegar aos clientes potenciais justamente com as mensagens que têm a maior probabilidade de gerar a contratação. Segundo o estudo, os 5 critérios que os clientes consideram mais importantes ao escolher um escritório de advocacia são, por ordem de importância, (1) Conhecimento jurídico, (2) Serviços ao cliente, (3) Experiência no mercado em que o cliente atua, (4) Reputação do escritório e (5) Soluções criativas.

Como vimos no artigo Blog de negócios: pesquisa revela sua eficiência como ferramenta de comunicação e marketing é inegável que as ferramentas que podem expressar com mais eficiência o conhecimento, os serviços, a experiência, a reputação e as soluções do escritório são justamente o blog corporativo e o marketing em redes sociais.

Cada vez mais, o escritórios de advocacia brasileiros precisam se ocupar da profissionalização de seu marketing, estruturando-se internamente para enfrentar o desafio de um mercado cada vez mais competitivo, adotando planos formais e objetivos claros. Especialmente, é necessário estabelecer uma política de comunicação de marketing capaz de responder às necessidades reais de informação de seus clientes. Finalmente, é indispensável despertar a para a realidade de que o o Brasil é o 7º maior mercado de internet do mundo, sendo que mais de 90% dos brasileiros conectados à internet adotam as redes sociais, inclusive como fonte de informação, interação e novos negócios, sendo ainda necessário lembrar que a internet provê justamente a forma de comunicação preferida pelos advogados, a comunicação “de mão-dupla”.







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.