Géssica Hellmann & Alex Oliveira

Missão: Registramos neste blog nossas pesquisas e nosso pensamento profissional sobre produção e marketing de conteúdo.



Siga-nos!

   Perfil no Google Plus Feeds RSS


Gostou? Divulgue!

Você tem um blog e gostou de nosso conteúdo? Adicione um botãozinho para nós em seu blogroll. Basta copiar o código a seguir!

O resultado será:
Pesquisa - Redação - Projetos Editoriais



Direitos Autorais

O conteúdo deste blog é protegido por direitos autorais. Se você quiser reproduzir na web qualquer conteúdo originalmente publicado aqui, lembre-se de atribuir a autoria a Géssica Hellmann & Cia. Ltda e incluir um link direto para página de onde copiou o conteúdo.
Licença Creative Commons

Licença Creative Commons
Para mais detalhes, consulte nossa página sobre Direitos Autorais

Protegido contra plágio

Protected by Copyscape Online Plagiarism Test


A misteriosa taxa de rejeição do Google Analytics

Arquivos: ,

Autor: Alex Oliveira | Data: 30/05/2008 |


Muitas pessoas ficam intrigadas com aquela expressão fortíssima dos relatórios do Google Analytics: “taxa de rejeição”. A palavra foi mal escolhida, porque dá a impressão de se referir ao número de pessoas que não gostaram de seu site.

Nada mais longe da verdade. Vejamos como o próprio Google Analytics define o conceito:

Taxa de rejeição:

A porcentagem de visitas a uma única página (como as visitas em que uma pessoa sai do seu site na mesma página em que entrou)”.

Sob que condições esse conceito é uma “taxa de rejeição”? Apenas uma: quando sua campanha de Links Patrocinados dirige clientes potenciais a uma landing-page de comércio eletrônico e os visitantes não prosseguem a visita até finalizar uma compra.

Ainda assim, a expressão é forte. Nem todos os fregueses que entram em uma loja, olham os produtos, conferem as ofertas e saem sem comprar efetivamente “rejeitaram” a loja. Alguns deles podem estar pesquisando ofertas em outras lojas online com a disposição de comprar em outra hora mais conveniente!

Quando se trata de sites de conteúdo, o conceito é ainda mais inadequado. Se um usuário chega a um site de conteúdo e visita apenas uma página, na maior parte das vezes isto significa apenas e tão somente que ele encontrou exatamente o que procurava naquela página e, portanto, não precisa continuar procurando a informação em outro lugar!

O SEO competentemente executado, portanto, pode resultar em elevada “taxa de rejeição” em muitas de suas páginas de conteúdo nos relatórios Google Analytics… E isso é muito bom!

Assim, como verificar a “taxa de rejeição” real de seu site?

É um processo simples, mas trabalhoso. Selecione uma amostra das palavras-chaves que levaram visitantes até seu site, podem ser as 100 primeiras da lista. Em seguida, verifique uma a uma quantas dessas palavras não se relacionam com o conteúdo do seu site, sugerindo que o visitante chegou até seu site procurando por um conteúdo que você não oferece nem tem intenção de oferecer. Divida esse número pelo total de palavras-chaves e você terá uma noção real do desempenho de sua otimização. Quanto melhor for o SEO, quanto mais otimizado for o seu site, menor será o número dessas palavras-chaves não relacionadas ao seu conteúdo. Se esse número crescer ao longo do tempo, é hora de realizar mudanças em sua política de SEO.

Por outro lado, se você tem um site de e-commerce, sua preocupação deve ser com a “taxa de conversão“, isto é, com o número de pessoas que se deslocam pelo seu funil de vendas até completar a compra. Deste modo, se um grande número de clientes abandonar a compra em qualquer ponto do funil de vendas antes de completá-la, não importando o número de páginas que tenha seguido, o objetivo do seu site não terá sido atingido e será necessário intervir para resolver esse problema.

Precisa de ajuda? Entre em contato pelo formulário abaixo!







Artigos relacionados

Os comentários estão fechados.